O blogger é atualizado de acordo com as batidas do meu coração. É um prazer tê-los comigo.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

ATIRE A PRIMEIRA PEDRA SE QUISER, PORQUE EU, DOU FLORES

Chegou um e-mail de uma leitora que não quis postar no desabafo, mas me pediu que contasse aqui a sua história. Leca nasceu em uma família simples, de oito irmãs. Começou trabalhar muito cedo e como era muito bonita, sempre precisava se esquivar do patrão, um senhor, segundo ela, metido e "nojento". Nunca cedeu às suas investidas, cheias de promessas de vida fácil. Muitas vezes pensou no quanto isso poderia facilitar a vida de toda a sua família, mas nem assim achou que valeria o sacrifício. Ela era tida na pequena cidade como uma garota "fácil", e se ser fácil era sair e transar com quem eu tinha vontade, então, eu era fácil mesmo. Não aceitava sair com homens casados, porque não queria se machucar e nem com homens que não lhe atraíssem , mesmo que tivessem muito dinheiro. Nunca se apaixonava pelos rapazes com quem se relacionava. Mas se gostasse do sexo, saía com ele por meses, às vezes até anos. Levava uma vida como as garotas de 18 anos, estudava, trabalhava, e...saía com todos os homens que tinha vontade. Nunca entendeu a diferença que as amigas tentavam lhe mostrar entre o que o homem pode, e a  mulher não. Mulher fica falada. Fica? Então, falem de mim.
Com 23 anos conheceu um rapaz que lhe tocou o coração. Meigo, doce, tranquilo. Diferente dela falava baixo, tinha gestos contidos e era muito tímido. Ela lhe pediu em namoro no mesmo dia, e 3 dias depois teve que lhe perguntar se não iriam transar. Ué, ele não tomava iniciativa, tomei eu! Ele lhe dizia que amava esse jeitão sincero dela. Namoraram por 1 ano, enquanto ela continuava saindo com todos os outros homens pelos quais se sentia atraída. Fazer o que? Amanhã eu morro, e deixo de viver o que tenho vontade.
Casaram-se contra a vontade da família dele, que até gostava dela, mas não considerava que fosse a moça ideal para formar uma família. Ele não era rico, mas levavam uma vida confortável. Era dentista concursado de uma grande firma, e se contentava com isso. Ela era a melhor dona de casa que um marido poderia querer. Nunca gostei de ter ajudante, gosto de cuidar das minhas coisas, cozinhar para o meu maridinho, lavar suas roupas e deixá-las bem cheirosas. 
Mas o descompasso sexual entre eles era grande. Ela gostava de sexo o tempo todo, e ele gostava de tempo para fazer sexo. Tinha que ser em noite tranquila, quase com dia marcado. Isso a matava de raiva! Ela, sem travas na língua dizia que queria e pronto! No começo ele aprendeu a se encaixar ao ritmo dela, e ela se deu por satisfeita. Claro, até que aparecesse um encanador de 1.90 mt e cheio de músculos. Aí tb é demais, né? O que eu podia fazer a não ser seguir meus desejos? Ficou grávida do marido,nasceu gêmeos lindos! Eles eram o casal mais feliz do mundo. Ela amava cuidar de seus bebês e pela primeira vez teve uma ajudante em casa. Ficou totalmente absorta no papel de mãe, que ela amava desempenhar. Mas sem esquecer um só segundo do meu maridinho. Quem arrumava as roupas para ele era eu, quem fazia sua comidinha era eu, e fazia cafuné até que ele pegasse no sono. Ele foi um pai maravilhoso! Não deixava que eu acordasse à noite para cuidar dos bebês...
A festa de um ano das crianças foi uma super produção, no sítio dos sogros, que já a adoravam e a respeitavam porque entre todos os filhos, esse era o mais bem cuidado, amado e mimado pela esposa. Mas aquele garçon...já tinha um ano que eu não tinha tempo de olhar para o lado, e quando me vi, estava trancada no celeiro com aquele mulato maravilhoso! Foi tudo de bom...sabe que nem sei o nome dele?
Os anos se passaram, os filhos cresceram, entraram na faculdade. Nunca deixei que ninguém cuidasse deles. Fui atenda, nunca faltei reunião de escola, nunca esqueci uma vacina, nunca os deixei com babá. Sempre fui uma leoa com meus pimpolhos. Ela voltou a ficar sozinha com o marido, e continuuo a mesma. Cuidando da  casa com todo o zelo do mundo, fazendo a comida do marido todos os dias com o maior amor e carinho, lavando e passando suas roupas cheirosas. Fazem sexo raramente. Ele não é muito animado. Ela continua totalmente animada! Por isso, faz alguns anos, alugou um apartamento, onde leva seus amantes, nunca fixos, nunca conhecidos. Ela soube que um colega de trabalho contou a ele, e ele fingiu que não ouviu. Até comentou com ela "o absurdo que o colega lhe disse". Se a consciência dela pesa? Não.
Certa vez, estava no apartamento com um representante de produtos químicos maravilhoso, e quando olhei no relógio eram 19hs, hora do meu amor jantar. Ele me perguntou se ele não sabia arrumar o jantar sozinho. Eu lhe disse que o jantar estava todo arrumado, mesa posta, não tinha nada mais a fazer, e ele questionou porque então, eu teria que ir. E eu lhe respondi: porque eu quero ir, porque eu tenho prazer em esperá-lo em casa, em arrumar seu prato, em jantar ao seu lado, em vê-lo feliz ao me ver ali. Em primeiro lugar na minha vida, vem meus filhos e meu marido, o sexo vem em segundo.
Uma amiga íntima lhe perguntou se ela não temia que os filhos, já adultos, descobrissem como ela levou  sua vida. Não. Levei minha vida sendo fiel ao que acredito. E vou mandar que perguntem ao pai se ele foi feliz ao meu lado. Porque sei que foi e será até o último minuto de nossas vidas.


Minha cara, atire a primeira pedra quem quiser, porque eu não tenho nada a lhe atirar a não ser flores. Prazer em tê-la aqui, dividindo seu relato conosco. Bjos. Marcela

4 comentários:

Dri Viaro disse...

Oi Marcela, respondi seu email e gostei muito de seu blog, só de ler a sinopse de seu livro já deu vontade de ler inteiro.rs
Conhece o meu outro blog Amélias de Salto?

www.ameliasdesalto.blogspot.com

dá uma passadinha lá tb

beijos

Anônimo disse...

Sem pedras...vc gosta da fruta, dá o q é seu e ainda brinca de casinha com o maridinho gay. E ninguém tem nada a ver com isso, a não ser seus filhos. Mas isso tmb é problema seu e de mais ninguém. Vc diz q é feliz prq acredita nisso tudo, ainda bem. Prq senão ia ficar esquisito pro seu lado...

Marcela disse...

Nosso amigo(pq pelo comentário SÓ pode ser homem), parece que tomou as dores do sexo masculino, taxando-o inclusive, seu marido de gay. Isso pq é "sem pedras"rs... Mas como aqui cada um diz o que pensa, vamos respeitar todas as opiniões. Mas se o marido dela é feliz, pq ficar tão irritado colega?

Dri, adorei o blog!

Leca disse...

Caro Anônimo, realmente dou o que é meu, e pela sua indelicadeza, vc jamais seria o tipo de homem para quem eu daria. Qto aos meus filhos, eu sei deles. Qto a minha felicidade, ela é indiscutível, Meu maridinho,amado e cuidado por mim, não é gay, mas se fosse não teria problema, pois tenho imenso respeito por todas as opções sexuais, diferente de vc que toma esse nome de forma pejorativa e desrespeitosa. Vc provavelmente tem uma companheira, que te ama, cuida de vc, e de todo o carinho do mundo como faço com o meu marido. Felicidades para vc.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...