O blogger é atualizado de acordo com as batidas do meu coração. É um prazer tê-los comigo.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

MAS EU ME MORDO DE CIÚMES...

Um dia desses uma colega com quem fiz cursinho em JF, me encontrou pelo facebook, depois de mais de 20 anos sem termos notícias uma da outra. Claro que do bate-papo virtual, pulamos para o telefone, onde ficamos mais de 2 horas. Não pude deixar de lembrar de mim naquela época. Eu tinha um namorado por quem era absolutamente apaixonada, me sentia amada e feliz ao seu lado, mas o ciúme era meu tormento e o rival de nossa relação. Eu tinha 16 anos e ele 17. Ele também era ciumento, mas nada que pudesse se comparar comigo. Eu via fantasmas por todos os lados. Vigiava tudo. Suas roupas, seus cadernos, sua carteira, seus olhos tentando adivinhar para onde olhavam. Ainda bem que não existia celular!!! Odiava todas as meninas do cursinho, me descabelava quando ele cumprimentava alguma, e quando conversava então?! Era a morte! Nessa época o Ultrage a Rigor lançou a música Ciúmes. Parecia feita só para mim! Eu odiava ouvi-la.
Brigávamos muito, quer dizer eu brigava. Depois das brigas eu chorava sozinha e pedia a Deus que tirasse aquele sentimento de dentro de mim. Eu já acordava pela manhã, com o coração inquieto. Era muito ruim. E ele nunca me deu motivos para isso. Mesmo assim eu vivia atormentada. Era feliz com ele, mas não tinha paz dentro de mim. Eu sabia que era exagerado, mas não tinha idéia de que poderia pedir ajuda, ir a uma psicóloga, enfim tomar uma atitude que me livrasse daquele inferno. E assim passaram-se uns dois anos. Nunca foi diferente, eu tentava me controlar, mas o sentimento era devastador. Como era de se esperar, um dia eu me cansei daquela falta de sossego que acompanhava aquele relacionamento, e...Acabou acabando. Deixei de gostar dele antes que ele deixasse de gostar de mim. Acho que ele sofreu bastante. Mas para mim foi um alívio, quando constatei que junto com a paixão, tinha ido embora aquele sentimento doentio que roubava os dias da minha juventude.
Com o tempo outros relacionamentos vieram e nunca mais foi assim. Talvez fizesse parte daquela época confusa da adolescência. Mas eu deveria ter procurado alguém mais velho com quem pudesse conversar, e certamente eu encontraria o apoio necessário para sair daquele sofrimento. Hoje, olhando de tão longe, parece que tudo era pequeno e até insignificante, mas como era grande! 
Nada é pequeno quando se sente, e para tudo há solução. O segredo é não ficar sozinho, procurar ajuda é um ato inteligente. Ciúme adoece, mata, destrói, mas tem tratamento! 

5 comentários:

Anônimo disse...

Ciúmes? Veja na bíblia, veja na mitologia, esse veneno corrói a humanidade não é de hoje. Se tem cura? Claro! É só um sentimento de posse, de perda eminente, uma insegurança afetiva e emocional. Mas como dói...A cura é o amor, o afeto e a parceria, fora isso, não tem saída...um ciumezinho, até passa. O resto é doença.

Anônimo disse...

Oi!Eu tbm sou assim, e sofro mto c isso.. Bjs!! É um ótimo blog!!

Marcela disse...

Brigadão gente! Ciúme tem cura!!!

Lu disse...

Eu me lembro bem desta epoca!!!Bjs

Marcela disse...

Ô! E como lembra heim, amiga???

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...