O blogger é atualizado de acordo com as batidas do meu coração. É um prazer tê-los comigo.

sábado, 7 de maio de 2011

EXISTEM MÃES E MÃES


Há mulheres que apreciam o período de gestação - sentir o bebê se desenvolvendo, os primeiros movimentos, a ultra sonografia que  mostra que o que era só uma "bolinha" já ganhou braços e pernas. Mas  há, também, aquelas que se pudessem, pulariam essa etapa - não dormem bem, incham, sentem enjôos, enfim, não encontram prazer nesse processo carregado de tantas transformações. E tudo termina  no mesmo lugar - a sala de parto - para algumas um momento sublime, para outras, de terror.
Amamentar é um maravilhoso ato de prazer. Para algumas. Para outras é um suplício - leite que empedra, bico que fere, febre, dor. 
Para todas as mães é inegável o prazer de gerar um filho? Não.
A maternidade é por si só um ato consciente da responsabilidade que é colocar uma vida no mundo? Não. Amor de mãe é indiscutível? A meu ver, não. Esses são dogmas, e, as mães que aí não se enquadram, se escondem, mentem e  enganam por temer julgamentos. Eu confesso que não tenho capacidade de entender, mas não julgo. Existem mães que doam seus filhos, outras vendem e outras jogam em latas de lixo. Inexplicável.
Inexplicável são, também, aquelas que passam a vida inteira reclamando que filhos são um fardo, e, seus filhos que não foram jogados no lixo, sentem-se um lixo. 
Como determinar que amor de mãe seja sempre igual? Nada é igual. Nem mesmo amor de mãe.
Para mim é difícil falar sobre isso sem me permitir derramar um oceano de juízos de valores sobre mulheres que desempenham esse tipo de relação com a maternidade. Como alguém pode não amar o fato divino de ser mãe? Mas pode.
Esse é um amor que me consome e me preenche de alegria há 22 anos. O maior prazer que vivi na maternidade foi ouvir de meu filho, já adulto, época em que mães já deixaram de ser perfeitas, lindas e santas, que se lhe fosse dado o poder de escolha, ele queria sempre que eu fosse a sua mãe.
Ser mãe foi meu ideal, minha escolha e um eterno prazer - desde o ato de gerar, até parir e criar. Mas nunca acreditei nesse absolutismo decretado ao "amor de mãe", simplesmente pelo fato de serem mães biológicas. E incluo aqui,  as que adotaram seus filhos, pois para mim não existe diferença, essas também geraram seus filhos em um útero especial, que mesmo de longe detem o poder de nutrir o filho que ainda não chegou.
Existem mães, no sentido sublime da palavra, mesmo não o sendo biologicamente. Para essas vai todo o meu apreço, respeito, admiração, e, também meu amor imenso, eterno e particular para duas delas - Mãenininha e Dinda, que me proporcionaram uma infância mais feliz e fizeram com que eu me sentisse mais amada e segura, o que fez a minha vida mais leve. Amo vocês duas!
Refiro-me aqui, a elas - às mães/tias, mães/dindas, mães/ babás, enfim, falo das mães que não geraram, não pariram, não amamentaram, não projetaram a chegada daquele filho, mas que permanecem sempre ao lado das crianças que crescem em outros lares. Acompanham os primeiros passos, as primeiras palavras, tiram foto do primeiro dia na escola, são agraciadas com desenho no dia das mães, e, muitas vezes são até chamadas de "mamãe" e, generosamente lhes explicam "não sou sua mãe, meu bem, vamos combinar assim: você me chama de ... senão, sua mamãe fica triste". Elas vibram quando eles passam no vestibular, ficam o tempo todo no hospital quando vão ter bebês, enquanto poderiam estar em casa vendo um filme, deixam de trabalhar para ir às festinhas da escola, perdem o sono preocupadas com a ida à boate. Nada é por obrigação. Nem por compromisso. Isso é comprometimento com o amor. Isso é ser mãe.

6 comentários:

Anônimo disse...

Mto bem lembrado, existem mães q, não sendo mães, são mto mais. Sou pai de filha dos outros, é parecido. Como ninguém escolhe mãe, vou lhe dizer - esses seus filhos lindos deram uma baita sorte ! Pra todas as suas mães, mta saúde e felicidades nesse dia !
Aceite meu bj especial pra vc com admiração e carinho em todos os dias.

Marcela disse...

Obrigada meu amigo, meu pãe querido...bjos

arionent disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arione Torres disse...

oi minha querida, vim aqui no seu cantinho te desejar uma linda e maravilhosa semana, que Deus te abençõe grandemente junto com a sua família. Gosto muito de vc viu? Um abraço e fica com Deus.

Marcela disse...

Oi linda! obrigada, a recíproca é verdadeira!

Marcela disse...

Oi Arione, vc tb é muito querida! bjos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...